• Santa Maria Produções
  • Santa Casa de Misericórdia de São Paulo
  • Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo
  • Beneficência Portuguesa - SP
  • Editora Boa Nova
  • Roupalhaço - Macacão e boinas
  • Fernanda Martins - Ilustradora
  • Hospital Regional Sul
  • Hospital Santana
  • Hospital do Servidor Público Municipal
  • Évora Seguros
  • Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia - IDPC
  • Promopress gráfica
contato@soulalegria.com.br Facebook

Apatralhado

Nomes do pais: Maria José e José Maria (quando alguém grita “Zezé!!!”, os dois respondem juntos)

Cidade onde nasceu: Cócegas do Riso Claro, interior de Minas Gerais, pertinho de Barbacena…E um tantão de Beagah.

Pequena biografia:

Diz o tio Neco, que Apatralhado achava que os pais eram mágicos… Desde de menino miudo, mesmo… Também, eles faziam tanta coisa num só dia que até pareciam se mutiplicar. O dia pra eles tinha umas 36 horas, sabe? Corre pra cá… Aparece ali… O pai sempre sabia quando o leite ia ferver mesmo de costas pro fogão… E a mãe então, as vezes dominava a metafísica… Era ela falar “Leva o guarda-chuva!” e batata: chovia.

Aliás, metafísica virou uma obsceção de família. Tentaram dominar o tempo e a magia do teletransporte. Sem êxito… Tentaram, treinaram, leram e releram, mas nunca deu certo. Nunca chegaram no horário em lugar nenhum, justamente por estarem tentando criar e atravessar um portal pra chegar em seus destinos… Qualquer lugar que fosse, a qualquer distância, era uma hora de diferença no mínimo.

Por isso inclusive, Apatralhado nunca soube quando realmente nasceu, desistiram de contar os dias! Isso tio Neco sempre fala.

A vida passou assim: Dormiam quando dava sono e comiam quando dava fome! Os números já não faziam mais tanto sentido! 

E quando completou 18 anos, Apatralhado saiu de sua cidade (pela estrada mesmo) e veio para São Paulo!... Até hoje não se acostumou com a velocidade que tudo acontece aqui! O tempo e a distância ainda não fazem o menor sentido na cabeça desse cara, mas não tem tempo ruim pra ele, qualquer coisa que precisar é só pedir… Só não conte com a pontualidade, óbvio!    

Bruno Moreira

Paulistano, designer gráfico e fotografo. Amante de esportes radicais e viagens.

Acredita que a vida é um caminho entre dois pontos. Há quem diga que é uma reta. Talvez, aliás, o caminho não tenha que ser curto. O caminho pode ser sinuoso e cheio de belas imagens para fotografar. 

Formado na turma 06 é voluntário do Soul Alegria desde outubro de 2017.

Home Agenda Quem Soulmos Nossa Missão Doutores O que nos inspira Na Mídia Fotos Vídeos Soul Eventos Projetos Contato Parceios Santa Maria Produções contato@soulalegria.com.br
Quem Soulmos Nossa Missão Doutores